Choose your region and/or language …

NORTH AMERICA

English

Español

LATIN AMERICA

Español

Português

English

EUROPE, AFRICA, MIDDLE EAST, AUSTRALASIA

Deutsch

English

Français

Italiano

Español

Português

العربية

ASIA

中文

English

Português, América Latina
TÉCNICA › PARTE INFERIOR DA CARROÇARIA

A parte inferior da carroçaria é o fundamento, ou se quisermos, os alicerces da sua casa sobre rodas.

Ela tem a tarefa de fixar a carroçaria ao chassis, assim como o fundamento de uma casa tem a tarefa de a fixar ao terreno.

Se a casa se situar numa encosta, numa praia, num terreno rochoso ou mesmo numa zona afectada por terramotos, o fundamento da mesma terá que ser obrigatoriamente diferente dependendo das condições particulares do solo em cada uma das situações.

Da mesma forma, também na construção de um veículo a ligação entre carroçaria e chassis tem que se adequar ao tipo de chassis escolhido, ao tamanho e peso da carroçaria bem como ao tipo de condução que será feita.

A condução deste tipo de veículos pode ser feita em estrada ou fora de estrada.

Para a utilização do veículo exclusivamente em estrada (99,9 % de todos os camiões) é suficiente o chassis auxiliar recomendado pelos fabricantes de chassis, o qual fixa a carroçaria ao chassis de forma bem segura através de pernos e transmite à carroçaria as torções fracas que possam ocorrer. Isto é suficiente para a carroçaria de um veículo destinado ao transporte sem cortes nas paredes laterais e sem equipamento no seu interior. Mas no caso, por exemplo, de um camião-cisterna utilizado no transporte de gases ou líquidos, os fabricantes de chassis recomendam um chassis falso mais sofisticado para a condução exclusiva em estrada (a torção poderia causar rachaduras), o qual faz um uso mais limitado do princípio do apoio em três pontos de forma a fazer com que a torção do chassis que ocorre em estrada não afecte a carroçaria.

Para o uso todo-o-terreno um chassis falso mais simples não é suficiente, mesmo um chassis falso com apoio em três pontos seria uma má opção.

As especificações por parte da Mercedes-Benz estipulam por isso a utilização de uma parte inferior da carroçaria à prova de torções na construção do Unimog enquanto que em camiões, com ou sem tracção às quatro rodas, basta o chassis falso.
O facto dos engenheiros do Unimog Mercedes-Benz terem desenvolvido uma parte inferior da carroçaria à prova de torções para o seu chassis todo-o-terreno mostra a necessidade de uma solução técnica de elevada qualidade que faz honras à melhor tradição da empresa.

A questão se tal parte inferior da carroçaria é apenas necessária no Unimog ou se é também necessária em camiões a serem utilizados em todo-o-terreno, é uma pergunta cuja resposta é respondida com outra pergunta: se para o Unimog são válidas outras leis físicas ou não. A UNICAT utiliza desde o início, e para todos os veículos construídos, partes inferiores da carroçaria à prova de torção.

Como funciona a parte inferior da carroçaria à prova de torções da UNICAT?

Por um lado o chassis deve estar adaptado à mobilidade em terrenos acidentados assim como oferecer estabilidade durante a condução a alta velocidade. Para isso, a mobilidade prevista pelo fabricante não pode ser limitada. A torção do chassis assegura que o veículo mantenha todas as rodas em contacto com o solo, mesmo em situações extremas. Só assim é possível uma condução segura fora de estrada.

Por outro lado, a carroçaria está construída como uma caixa robusta, devendo deformar-se o mínimo possível. Isto também é válido para os móveis e dispositivos técnicos instalados dentro dela.
Quem já experimentou retirar cubos de gelo de uma forma, conhece o efeito de deformação da forma ao desprender os cubos de gelo das paredes da forma.
O que se pretende aqui – que os cubos caiam para fora – o que deve ser evitado ao máximo entre a carroçaria e os móveis.

Para isso, o chassis e a carroçaria devem estar unidos de forma a não ser possível a transmissão de nenhuma força de torção do chassis para a carroçaria.
Assim, a parte inferior da carroçaria à prova de torções da UNICAT é constituída sempre por um apoio fixo e por um ou dois rolamentos autocampensadores, tal como a parte inferior da carroçaria do Unimog.
O apoio fixo encarrega-se da fixação da carroçaria no centro e transmite forças em todas as direcções.
Os rolamentos autocampensadores posicionados à frente e a trás transmitem forças apenas em algumas direcções, de forma a que o chassis do veículo possa torcer-se sem limitações.
Já que em caso de se darem torções no chassis não é possível transmitir as forças do peso da carroçaria de forma regular sobre o chassis submetido à torção, na parte inferior da carroçaria da UNICAT as forças são transmitidas a sectores definidos do chassis. Aqui as forças principais são transmitidas exactamente onde também está fixado o eixo traseiro ao chassis, de forma a que seja reduzida a carga sobre o chassis.

A mobilidade desejada entre o chassis e a carroçaria também deve ser levada em conta no momento de colocar os cabos e fios eléctricos, assim como na montagem dos depósitos e outros equipamentos.

Trata-se de um problema complexo que apenas pode ser resolvido de forma optimal quando a carroçaria e a parte inferior da carroçaria são concebidas debaixo do mesmo tecto – como é o caso da UNICAT.

© 2013-2017 UNICAT GmbH – information is subject to availability, changes in price, technical modification and error.